Objectivos

O objectivo geral do projecto é valorizar o património cultural da Euro-Região Galiza-Norte de Portugal, como elemento de desenvolvimento trans-fronteiriço, mediante estratégias e modelos conjuntos de recolhida e tratamento de informação e gestão, promovendo a difusão do mesmo, e seu aproveitamento por parte de sectores económicos como o sector turístico, e impulsionando a participação social em todo o processo.

Os resultados principais do projecto cobrem todos os aspectos necessários para a posta em valor, e servirão como catalizador e ponto de atração de turistas, que suporá dito património nos próximos anos.

Resultado do projecto

  • Resultado 1: Sistema de informação para a gestão do património cultural, com vertente geoespacial (ID do património cultural da Euro-Região), participativo, acessível e interoperable.
  • Resultado 2: Vincular a mais de 5.000 agentes, representados por gestores culturais públicos e privados, pesquisadores, cidadania (incluindo a turistas) e público em general, promovendo sua participação activa e visão renovada sobre o património em frente à visão tradicional passiva. E criação de uma metodologia que sistematize a participação neste  processo.
  • Resultado 3: Implantação de 3 casos de uso  de gestão e difusão de património cultural em administrações públicas, em base ao sistema definido de informação e participação. Realização de 4 experiências piloto de novos modelos de gestão patrimonial inovadores, em base ao sistema definido de informação e participação. Em todos estes casos com transferência de informação aos decisivos públicos.

A criação de uma plataforma como a que se propõe neste projecto obedece, em primeiro lugar, à necessidade de actualizar os mecanismos e procedimentos de gestão do património cultural em termos das diferentes fases da corrente de valor: identificação, documentação, significação, avaliação, conservação e circulação. Mas esta actualização exige algo mais que uma actualização meramente tecnológica, encarnada na a cada vez mais diversas ferramentas de teledetección, de informação geográfica e territorial ou de interacção através das tecnologias da informação. O projecto contém e incorpora todas estas actualizações, mas vai para além.

Com esta plataforma pretende-se avançar na configuração de novas formas de construir, gerir e valorizar socialmente o património. Nossa proposta está em sintonia com a recente demanda de um governo participativo da cultura e o património cultural por parte de reconhecidas instituições como o Conselho de Europa (vejam as Conclusões do Conselho de Europa respeito do governo da cultura /2012/C 393/03/ e o património cultural /2014/C 463/01/). Também, esta demanda trata de dar resposta às exigências de gestão que vêm dadas pela consideração do património cultural como um recurso estratégico para o desenvolvimento sustentável, bem como à crescente percepção do papel que joga a valoração social na definição do universo patrimonial (desde o Convênio de Faro de 2005).

Por todo isso, a plataforma incorporará, desde sua fase de desenho até seu pleno funcionamento, alguns elementos que dotam ao projecto de um carácter profundamente inovador, entre os que destaca a versatilidad  do médio, Assim, a plataforma possibilitará a participação  no desenho e o posterior uso por parte de sectores e agentes relacionados directa ou indirectamente com o património cultural -autoridades e organismos públicos, agentes privados, organizações da sociedade civil, ONG, o sector do voluntariado e pessoas interessadas?com suas respectivas e diferentes necessidades específicas, facilitando uma gestão global (entendida como planejamento, gerenciamento das decisões, execução e avaliação de políticas patrimoniais) transparente, informada e participada  das diferentes entidades que integram o património cultural