Actividades

O objectivo geral é valorizar o património cultural da Euro-Região Galiza-Norte de Portugal, como elemento de desenvolvimento trans-fronteiriço, mediante estratégias e modelos conjuntos de recolhida e tratamento de informação e gestão, promovendo a difusão do mesmo, e seu aproveitamento por parte de sectores económicos como o sector turístico, e impulsionando a participação social em todo o processo.

O projecto articula-se em 4 eixos:

Actividade 1: Desenho do modelo conceptual e técnico do sistema de informação para a gestão e difusão do Património Cultural da Euro-Região Galiza-Norte de Portugal  

A lei de Património Cultural da Galiza reconhece bens materiais e imateriais e ademais estabelece diferentes perspectivas de seu interesse cultural em relação a seus valores histórico, artístico, arquitectónico, arqueológico, paleontológico, etnográfico, cientista, técnico, bibliográfico, documentário. Dentro destas perspectivas, especialmente nas do património cultural material, existem diferentes classificações tipológicas. A plataforma de trabalho cobrirá este amplo espectro de casuísticas e de forma racional e organizada sistematizar de uma forma coerente e que permita a aplicação dos diferentes regimes de protecção que derivam da lei, bem como das diferentes actividades e utilidades que queiram se desenvolver.

Desta forma existirá um sistema padrão com múltiplas referências e elementos de relação internos que facilitarão a difusão e uso da informação mas a sua vez serão a ferramenta sustentável para seu desenvolvimento e aplicação as outras necessidades, desde a investigação até o lazer passando pela utilização como recurso de natureza económica ou social. O desenvolvimento permitirá seu uso continuado e revisable por parte das administrações responsáveis de sua manutenção mas também a contínua actualização como resultado da participação pública no processo, e ademais permitirá uma coerência na disposição da informação em toda a Euro-Região que permita que todos estes resultados sejam aplicáveis aos participantes na actividade e agentes que a usem anteriormente. Tomando como ponto de partida a experiência da administração pública galega no âmbito da disponibilidade de um sistema de informação geográfico corporativo, se pretende uma homogeneização da infra-estrutura de dados espaciais da Euro-Região considerando a toponimia como elemento nuclear do património cultural para numa segunda fase criar um catálogo com informação geoespacial do património cultural da Euro-Região.

Beneficiários

A plataforma será uma ponte de comunicação e intercâmbio entre os sujeitos participantes implicados na tomada de consciência do valor do património:  

  • A nível institucional, constata-se a falta de um registro completo e acessível do património cultural. As instituições vinculadas obterão melhoras nos processos de conhecimento e entendimento do património para seu cuidado, transmissão e posta em valor. 
  • Os agentes socioeconómicos favorecer-se-ão de um sistema integrado de informação (recursos e território) que facilite o desenho de suas propostas de gestão. Ao ser uma ferramenta intercomunicada com instituições e cidadania, os agentes manterão um contacto permanente com as contribuições destes colectivos.
  • Para a cidadania, são necessários mecanismos como este que fomentem a educação patrimonial, estimulando sua sensibilização, conhecimento, entendimento, posta em valor e respeito.

Actividade 2: Património material e imaterial: normalização, geolocalização e difusão

O objectivo desta actividade, especifica-se na aplicação e verificação do modelo estabelecido na actividade 1 no âmbito do património material e imaterial com dois casos de uso específicos:

  • A normalização, geolocalização e difusão da toponimia, como património imaterial e como elemento nuclear da informação geográfica para a difusão do património.  
  • A normalização, geolocalização e difusão de bens inmuebles que pertencem ao património cultural material acercando a informação geográfica para a protecção de seus valores culturais e sua integração e uso num sistema transversal de gestão dos bens culturais em tarefas de bem-estar e equilíbrio social bem como de desenvolvimento sustentável.

Da aplicação destes casos de uso, resultarão: elementos patrimoniais digitalizados, xeorreferenciados; procedimentos de trabalho e ferramentas TIC implantados na administração pública galega, como procedimentos comuns do desempenho de sua actividade; dados patrimoniais disponíveis para outros agentes, em formato aberto e reutilizável. Especificam-se as seguintes acções:

Beneficiários

  • Nas Administrações públicas (autonómicas, locais, ?):
    • Para o exercício de suas funções em relação com o património e o território. 
    • No âmbito do turismo, para a posta em valor dos bens materiais e imateriais que fazer parte do património.
    • No mundo educativo, para a elaboração de unidades didácticas ou actividades, com o objeto de que os estudantes.
  • No mundo da investigação, especialmente universitária, em relação com disciplinas como: a filología, com novos métodos de análises de nosso idioma através da geografia linguística; os historiadores, arqueólogos, biólogos, ?, através da toponima conhecendo a intrahistoria da cada aldeia e os indícios que lhe acercam os nomes.
  • A cidadania em general, mediante a difusão e sua participação activa.
  • Os conteúdos e experiências poderão ser utilizados como referência em projectos ou iniciativa similares ou em outras administrações.

Actividade 3: Património documentário da Euro-Região: Digitalização e difusão

O objectivo é reforçar a digitalização do património documentário colectivo trans-fronteiriço e sua disponibilidade em repositórios on-line autonómicos, nacionais e europeus (como é o caso das redes Galiciana, Hispana e
Europeana) em formatos estáveis, fidedignos e permanentes, evitando riscos de perda e promovendo a difusão do património cultural da Galiza e Norte de Portugal a nível internacional. Para isso considerar-se-á como ponto de partida o arquivo digital integrado construído na Xunta da Galiza, em especial seu sistema de coleta automatizada. Abordar-se-ão as actividades de concreção dos critérios comuns de digitalização e captação do património documentário da Euro-Região, a execução do processo de digitalização, e a integração e catalogação nos sistemas de descrição e preservação do património documentário existentes, e estabelecer-se-ão os mecanismos de coleta dos fundos digitalizados e outros já catalogados, e os canais de difusão. Configurar-se-á assim no canal único de acesso ao património documentário da Euro-Região.

Em concreto as tarefas das que constará a presente actividade seriam as seguintes:

Beneficiários

  • Os arquivos e administrações cujos fundos são digitalizados.
  • As administrações regionais e locais do âmbito territorial de intervenção nos que se situem os arquivos patrimoniais seleccionados nas actividades piloto, que contarão com uma metodologia e médios para continuar com o processo. Grupos de investigação ou grupos de trabalho no âmbito do património documentário, ou nas temáticas vinculadas aos fundos digitalizados.
  • A cidadania em general, mediante a difusão e simplificação do acesso aos fundos patrimoniais. E mediante a participação nas técnicas que apliquem.
  • O património colectivo da Euro-Região que aumenta sua presença na memória colectiva e por tanto se vê valorizado como elemento cultural, educativo e de interesse.

Actividade 4: Participação social e inovação na gestão patrimonial

O objectivo desta actividade é incluir a participação social como elemento transversal à execução do projecto. Ao mesmo tempo trata-se de gerar e experimentar, mediante diversas experiências piloto de novos modelos de gestão e valorização do património, que aproveitem o desenho, procedimentos e ferramenta estabelecidas nas actividades prévias, como médio de fonte de dados e/ou gestão do património concreto a valorizar mediante as ditas experiências piloto. A presente actividade se subdivide por tanto nas seguintes acções:

  • Acção 4.1.- Elaboração e implantação de um plano de actuação para incluir a participação social nas actividades.
  • Acção 4.2.- Iniciativas piloto de inovação na gestão do património cultural.
  • Acção 4.3.- Relatório de casos de uso e boas práticas participativas e inovadoras para a valorização do património cultural da Euro-Região, como análise do resultado dos pilotos inovadores (acção 2), do resultado do plano de participação social, bem como dos casos de uso do projecto que demonstrem as formas ou de utilizar e valorizar o património através de ferramentas TIC. 

Beneficiários

  • Os sócios do projecto, dado que o plano de participação e experiências inovadoras servirão também para convalidar e melhorar o desenho e ferramentas construídas.
  • As Administrações da Galiza e a Região Norte de Portugal, que contarão com novos produtos turísticos inovadores e dinâmicos vinculados ao património cultural que permita pôr em valor seu atractivo como destinos turísticos e atração de visitantes e consequente geração de emprego e crescimento no sector.
  • As administrações locais do âmbito territorial de intervenção nos que se situem os elementos patrimoniais seleccionados nas actividades piloto.
  • A população dos territórios do âmbito de intervenção nos que se situem os elementos patrimoniais seleccionados para os pilotos.
  • Os visitantes aos elementos do património do âmbito de actuação dos pilotos, que contarão com ferramentas inovadoras e participativas para conhecer melhor ditos elementos.